terça-feira, 3 de julho de 2012

Aula: Deus Criador

DEUS E O INFINITO?

  • O que é Deus?
Quantas pessoas já fizeram essa pergunta?
Com certeza muitas!
Desde de o princípio dos tempos o homem tenta descobrir o que é Deus!
Até os homens mais primitivos já sentima que existia uma força maior.
Antigamente acreditava-se na existência de muitos deuses. Por exemplo:


Para os egípcios:
RA, o deus Sol, mistura forma do homem com o animal
Bastet, deusa protetora com cabeça de leoa.

 Para os gregos:
Apolo, deus da luz
Artemis, deusa protetora dos animais

 Nunca ninguém viu Deus. Mas os homens sentiam a necessidade de criar uma imagem para representar a divindade. Aos poucos os homens foram evoluindo. O povo hebreu, muito antigo, já acreditava em Deus único. O primeiro chefe desse povo chamava-se Abraão.

Jesus, descendente desse povo, veio nos ensinar que:

“Deus é nosso Pai criador. É bom misericordioso, Eterno e Justo.


Ama todos os seus filhos.”

Jesus é nosso irmão, o Espírito mais evoluído que na Terra encarnou. Também foi criado por Deus

Deus é a Inteligência Suprema, a Causa Primária de todas as coisas, o criador de tudo.

 RESUMINDO:
Deus criou tudo o que existe
Criações divinas: a natureza perfeita, os animais e o Homem, nosso Planeta, e o Universo, que é infinito.
Não podemos ver Deus, mas podemos com ter certeza que existe, ao observamos tudo o que Ele criou.
O homem, que é o ser mais inteligente do planeta Terra, consegue manipular a máteria criada por Deus, e com imaginação, cria muitos objetos, como: avião, uma cadeira e tantas outras coisas necessárias à sua evolução, como telescópios, aparelhos sofisticados para exames clínicos, etc:


Atributos de Deus, O Livro dos Espíritos, questão 13.

Eterno – não teve início e não terá fim. Se tivesse um começo, de onde teria se originado? Do nada? De outro ser? Se tivesse fim o que haveria depois dele? Deus é a causa de si mesmo. Se alguém disser que Deus é imortal, lembrar que imortal são os espíritos porque tiveram início, que Deus é eterno, porque não teve início e não terá fim.
Imutável – não está sujeito a mudanças. Suas leis também não mudam. Se suas leis (de amor, de justiça) mudassem haveria desordem e confusão no universo. Não saberíamos mais o que é certo e errado. O universo é como uma máquina perfeita, tudo funciona perfeitamente.
Imaterial – não é matéria. Não tem um corpo físico. Ele tem uma constituição diferente de tudo o que conhecemos como matéria. Se Deus fosse matéria, ele se transformaria, porque a matéria se transforma.
Único – só existe um Deus. Se houvesse mais de um Deus, poderia ser mais poderoso, ou ter idéias e objetivos diferentes, então seria o caos.
Onipotente – é todo-poderoso ou seja , tudo pode. Tem poder absoluto porque Ele criou tudo o que existe. O Bem reina absoluto. O mal é apenas um reflexo de nossos irmãos menos evoluídos que ainda não optaram pelo bem.
Soberanamente justo e bom – não faz injustiças e nem maldades. Deus não erra. Sua bondade se revela desde as menores coisas (ex.: a beleza de uma colméia, ou das células que compõe o nosso corpo) até o espaço infinito, com suas estrelas e seus inúmeros planetas. Deus tem um programa para sua criação, onde se destacam a justiça e o amor.


ATIVIDADES






OUTRAS HISTÓRIAS

A EXISTÊNCIA DE DEUS!

Damico era dono de uma bem sucedida farmácia numa cidade do interior.
Era um homem bastante inteligente mas não acreditava na existência de Deus ou de qualquer outra coisa além do seu mundo material.
Um certo dia, estava ele fechando a farmácia quando chegou uma criança aos prantos dizendo que sua mãe estava passando mal e que se ela não tomasse o remédio logo iria morrer.
Muito nervoso e após insistência da criança, resolveu reabrir a farmácia para pegar o remédio. Sua insensibilidade perante aquele momento era tal que acabou pegando o remédio mesmo no escuro, entregou-o à criança, que agradeceu e saiu dali às pressas.
Minutos depois, percebeu que havia entregado o remédio errado para criança e, se aquela mãe o tomasse, seria morte instantânea.
Desesperado, tentou alcançar a criança mas não teve êxito.
Gritou em desespero.. e o tempo passava e nada acontecia. Sem saber o que fazer e com a consciência pesada, ajoelhou-se e começou a chorar e dizer que se realmente existia um Deus que não o deixasse passar por assassino.
O tempo passava e ele, de joelhos ficava pensando que a mulher poderia já estar morta e,certamente, ele teria de pagar por isso. Refletiu sobre suas intemperança, sobre seu mau humor principalmente sobre
sua insensatez.
De repente, sentiu uma mão tocar-lhe o ombro esquerdo e ao virar deparou-se com acriança em prantos.
Naquele momento ficou desconsolado. Mas tinha uma certeza:
Deus, de fato, não existia. Já podia imaginar o que estava para lhe acontecer.O choro e o olhar triste daquela criança lhe atravessava a alma.
No entanto, como um lampejo de sabedoria, perguntou ao menino o que lhe havia acontecido. Então aquela criança começou a dizer:
- "Senhor, por favor não brigue comigo, mas é que caí e quebrei o vidro do remédio, dá pro senhor me dar outro?

Deus existe e te conhece pelo teu nome.
Ele sempre tem o melhor para você, por mais que as circunstâncias mostrem o contrário.
Creia neste amor que é maior do que qualquer um dos seus problemas, mesmo que estes sejam grandes e de difícil resolução.
Creia na vida melhor que Ele tem preparada para você!

Creia neste amor!

EXISTÊNCIA DE DEUS

Conta-se que um velho árabe analfabeto orava com tanto fervor e com tanto carinho, cada noite, que, certa vez, o rico chefe de grande caravana chamou-o à sua presença e lhe perguntou:
- Por que oras com tanta fé? Como sabes que Deus existe, quando nem ao menos sabes ler? O crente fiel respondeu:
- Grande senhor, conheço a existência de Nosso Pai Celeste pelos sinais dele.
- Como assim? - indagou o chefe, admirado.
O servo humilde explicou-se:
- Quando o senhor recebe uma carta de pessoa ausente, como reconhece quem a escreveu?
- Pela letra.
- Quando o senhor recebe uma jóia, como é que se informa quanto ao autor dela?
- Pela marca do ourives.
- O empregado sorriu e acrescentou:
- Quando ouve passos de animais, ao redor da tenda, como sabe, depois, se foi um carneiro, um cavalo ou um boi?
- Pelos rastos - respondeu o chefe, surpreendido.
Então, o velho crente convidou-o para fora da barraca e, mostrando-lhe o céu, onde a Lua brilhava, cercada por multidões de estrelas, exclamou, respeitoso:
- Senhor, aqueles sinais, lá em cima, não podem ser dos homens!
Nesse momento, o orgulhoso caravaneiro, de olhos lacrimosos, ajoelhou-se na areia e começou a orar também.

Meimei
Livro: Pai Nosso - Francisco Cândido Xavier


Brincando e aprendendo o Espiritismo – Volume 2 –cap.3